terça-feira, 23 de setembro de 2008

Cinderela

Por uma noite,
por um segundo,
por um instante,
eu fui dono do mundo.

4 comentários:

Maria Joana disse...

guarda, então, esse instante, eternamente, numa bolha de sabão!

(eles ficam bem guardados lá)

Alice Agnelli disse...

e o sapatinho de cristal?
(tá rolando agora toda aquela história ou nem?)

Felipe Lobo disse...

São momentos registrados pelos olhos e pela sensações. Nem fotos, nem palavras podem dizer o que isso significa...

Hugo Neto disse...

Poeta,
Com apenas um trivial verbo de ligação e alguns complementos você traduziu magistralmente toda efemeridade, toda brevidade, toda transitoriedade, toda fugacidade, atrevo-me a dizer, toda inutilidade e, atrevo-me a dizer mais veementemente, toda beleza dos instantes verdadeiramente humanos. Eu próprio seria incapaz de fazer isso mesmo num supostamente breve comentário. Poucos conseguem navegar pelos rios em que você tem viajado. Reverencio sua Arte em silêncio Seu talento ultrapassou minha capacidade de me fazer claro mediante palavras. Coerentemente, calo-me.